Tiago Henrique Mossmann, Renata Brum Silveira, pet, estresse, animais, fugas, Ano Novo, fogos
Tiago Henrique Mossmann e Renata Brum Silveira junto do cão Dimmy já no clima do Natal. foto: Morgana Castro

Apesar de mágico e encantador, o período de Natal e Ano Novo é também um dos mais agitados. Entre a correria de comprar presentes, preparar a ceia e organizar a viagem da família, às vezes algumas coisas passam despercebidas e só na última hora é que se percebe o ato falho. Quem tem um bichinho de estimação deve colocá-lo no planejamento do Natal e Ano Novo. Você já parou para pensar em como o seu animal de estimação lida com todas as mudanças de rotina desse período?

Conversamos com a médica veterinária Vanessa Daudt Schonell para esclarecer alguns cuidados necessários para que a época de festas não se torne estressante aos bichinhos e seus donos. Para quem passa a noite de Natal e Ano Novo em casa e em família é tudo mais tranquilo, afinal, o pet estará entre pessoas conhecidas. Agora, se você pretende organizar uma grande comemoração, com ceia para muitos convidados, melhor tomar algumas precauções. É essencial cuidar para que os pets não se assustem ou fujam com o entra e sai de pessoas e portas e janelas abertas. “Outra atitude importante é avisar aos convidados a respeito dos hábitos alimentares dos animais da casa. Muitas pessoas acabam oferecendo alimentos contraindicados ou que os pets não estão habituados e isso pode acarretar em intoxicações alimentares”, destaca a veterinária.

Outra dificuldade é a decoração. Lembre-se que o seu animalzinho está habituado a um ambiente sem tantos adereços e é natural que a decoração não fique intacta. “Principalmente em casas com cães grandes ou filhotes de raças grandes”, diz Vanessa. O ideal é deixar a decoração em locais que os pets não tenham alcance. Os gatos costumam ter certa atração por pinheiros de Natal. Se ele não for muito bem fixado, é provável que não fique de pé por muito tempo.

A maior preocupação dos donos de animais nessa época costuma ser os fogos de artifício. Protetores de animais fazem um apelo para que as famílias encontrem outras formas de brindar a chegada do novo ano, mas é melhor se precaver. “Os fogos de artifício assustam muitos os pets. O mais importante é cuidar para os animais estarem em locais onde não possam se machucar ou fugir. A utilização de calmantes pode ser feita com produtos homeopáticos e naturais, mas o indicado é iniciar dias antes das datas festivas. O uso de sedativos pode ser perigoso sem o acompanhamento de um médico veterinário”, orienta Vanessa Daudt.

E apesar dos gatos aparentarem se importar menos com as novidades à sua volta, saiba que eles exigem tanto cuidado quanto os cachorros. Às vezes mais. Eles são muito sensíveis e a mudança de rotina no ambiente pode ser muito estressante.

Vai viajar nesse Réveillon?
Muitas famílias fazem viagens curtas nessa época do ano. Estendem o feriado e vão ao litoral. Ou seguem para outras cidades para rever familiares. E o pet? É melhor levar, deixar na casa de alguém ou em casa recebendo água e comida de um visitante?
O indicado é deixá-los no ambiente mais seguro, lembra Vanessa. O lugar onde se sentem mais a vontade é onde já estão habituados, portanto se alguém puder ir tratá-los em casa, essa é uma boa opção. Deixar na casa de outra família requer adaptação. Eles podem estranhar ficar em um ambiente diferente no início, mas a maioria se acostuma nos primeiros dias, seja na casa de um amigo ou familiar que possa cuidar ou em hotéis para cães.

Se resolver levar o pet na viagem fique atento para que ele esteja com as vacinas em dia, protegidos contra pulgas, carrapatos e mosquitos e, em regiões litorâneas, principalmente, adote medidas preventivas para leishmaniose e dirofilariose. “Para as viagens é importante levar a carteirinha do pet e um atestado de saúde do médico veterinário”, complementa Vanessa. E para viagens de ônibus ou avião, é importante ter conhecimentos das exigências feitas pelas empresas de transporte e local de destino, como atestados de saúde e vacinas obrigatórias.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta