Foto: reprodução internet

Outubro é o mês de prevenção ao câncer de mama: o Outubro Rosa. E a patologia não afeta apenas humanos. De acordo com dados do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de mama possui uma alta incidência nos animais de estimação domésticos. Em torno de 45% das cadelas e 30% das gatas desenvolvem algum tumor, sendo que 85% dos casos apresentam caráter maligno.

Alguns fatores podem influenciar no aparecimento da doença, como alimentação inadequada, obesidade e anticoncepcionais. Quem afirma é o veterinário Adolfo Sasaki.

“O que assusta é que aproximadamente 17% dos diagnósticos em cadelas são realizados de maneira tardia, o que reduz as chances de efetividade do tratamento”, afirma.

O profissional informa que para reduzir a probabilidade de aparecimentos de tumores mamários nas fêmeas, a castração é recomendada. A indicação é que seja feita antes dos primeiros cios.

Para prevenção, o exame de apalpação pode identificar caroços ou ínguas. A identificação precoce é muito importante nesses casos.

Tratamento
– Os principais sintomas do câncer de mama em gatas e cadelas são dores, inchaço das mamas e secreções – eles podem estar associados a outras manifestações. Caso identifique qualquer anormalidade, leve o animal imediatamente ao veterinário.
– O tratamento pode incluir cirurgia com retirada das mamas, a mastectomia, ou medicamentos quimioterápicos, dependendo da situação.
– Com a constatação de tumoração maligna, pode haver a necessidade de cirurgia associada ao tratamento com remédios. Entre os efeitos colaterais, a possibilidade de perda de pelo, diarréia, enjoos e vômitos.
– Lembrando que só quem pode avaliar é o veterinário; ele fará todos os exames necessários para constatar a urgência. E tão logo o auxílio médico for procurado, mais chances a fêmea terá de se curar e evitar a metástase.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta