exageros alimentares na ceia de Natal são comuns, mas as festas podem ser aproveitadas com moderação

É bom festejar. É uma delícia comer aqueles pratos só preparados para as ceias de final de ano. Grande parte da população também consome bebidas alcoólicas como se não houvesse o dia seguinte. Na sua família é assim? Segundo a Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), em quase todas é dessa forma, já que apenas 8% dos pacientes conseguem manter a dieta no período de festas.

Os médicos da Abran realizaram pesquisa, com 400 pacientes, para avaliar o perfil comportamental deles nas comemorações do Natal. Além dos 8% fieis ao plano alimentar, 37% assumiram sair completamente da rotina e 55% relataram se permitem sair da dieta, mas buscando equilíbrio. Chama a atenção o tempo que as pessoas afirmam passar à mesa na festividade. 41% disseram levar de duas a três horas entre a ceia e a sobremesa; 39%, cerca de uma hora; 13%, entre quatro e cinco horas; e 7%, mais do que seis horas. “Quanto mais tempo em mesa, maior a propensão a exagerar, pela exposição à comida e aos petiscos”, ressalta Durval Ribas Filho, médico nutrólogo e presidente da Abran. Participaram pacientes de 14 estados, entre eles o Rio Grande do Sul.

As comemorações de fim de ano trazem muitas atividades e não é preciso passar a festa apenas comendo e bebendo. Tente aproveitar o reencontro familiar, divertir-se, mas sem esquecer que em 2 de janeiro a vida continua. Além de maneirar nas quantidades e ficar de olho no acondicionamento dos alimentos (em dias quentes é preciso atenção à maionese, por exemplo), é possível fazer substituições que deixam a ceia mais leve. Veja algumas dicas.
 

Castanhas do bem
Elas são indicadas para consumo durante todo o ano, mas, no Natal, tem seu momento de glória. Mas não adiantar querer compensar a falta de consumo durante o ano na ceia. A quantidade de castanha do Pará, por exemplo, deve ser de apenas duas unidades ao dia. Se optar pela castanha de caju, lembre-se de utilizar sem sal.

Inclua vegetais
Não é porque é Natal que os vegetais precisam passar longe do prato. Itens como abobrinha, cenouras e beterrabas, além de fornecer nutrientes importantes, oferecem aquele colorido especial à ceia.

Faça substituições na receita
Algumas receitas tradicionais das festas de final de ano podem ser facilmente adaptadas. Ao preparar a salada de maionese ou salpicão, por exemplo, utilize iogurte desnatado ou creme de ricota light. A rabanada pode ser assada no forno. E na hora de escolher as carnes, vale optar por uma que você tempere com ervas frescas. As que já vem temperadas tendem a ser carregadas em sódio.

Bebidas
São raras as pessoas que não bebem nada alcoólico na ceia. Mas ao organizar a festa é interessante oferecer drinks sem álcool como opção. E para poder aproveitar o dia seguinte bem, evite misturar bebidas alcoólicas. Lembre-se, também, que há bebidas tão calóricas quanto uma refeição. Cada lata de cerveja tem 150 kcal, a taça de espumante 80 kcal, 100 ml de caipirinha feita com açúcar conta com 250 kcal e uma batida feita com leite condensado de 200ml tem 350 kcal.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta