O Natal e o Ano Novo chegam estão chegando e, além dos presentes, é preciso pensar na ceia. Quanto mais pessoas você resolver convidar para curtir esse momento especial na sua casa, mais dúvidas surgem. Afinal, cada um tem as suas preferências. Entre as muitas opções de receitas, a grande dúvida costuma ser a de quais carnes servir. Confira algumas opções.

Frango
Ele está presente na mesa do brasileiro o ano todo e pode sim ser servido no Natal. Caso você não queira comprar uma ave temperada e especial de fim de ano, asse um frango mesmo. E capriche nos temperos naturais. Assim, terá uma ceia gostosa e saudável. Para completar, faça uma farofa misturando sabores doces e salgados.

Peru
Ele morre de véspera? Sim. E para estar na mesa de muitas ceias de Nata. Essa é uma das aves mais tradicionais da data, tanto aqui como nos EUA, onde é mais consumido na ceia de Ação de Graças.

Chester
O chester, aquele “frangão” consumido no Natal possui menos gordura do que o tradicional frango e tem coxas e peito suculentos e maiores. Já vem temperado, o que é uma facilidade para quem organiza a ceia.

Tender
O pernil do porco defumado, é uma espécie de presunto. Ele combina com um molho agridoce e, em algumas ceias, é servido como aperitivo. Além do sabor, ele costuma ser um dos pratos mais bonitos, tradicionalmente enfeitado com cravos.

Pernil
Uma das partes mais nobres do porco. É macia e com menos gordura que outros cortes. Uma das receitas mais típicas é servi-lo desfiado, mas há quem prefira oferecer pedaços maiores, com molho agridoce.

Lombo
Corte extremamente macio o lombo é bastante gorduroso. Fica ótimo grelhado ou assado. Mas cuidado para não deixar passar do ponto. Costuma ser servido recheado.

Peixe
Há quem não entre o ano com o pé direito se, na mesa, não houver pelo menos uma preparação feita à base de peixe. Assado e recheado, cercado por farofa, ele é das delícias que serão lembradas nesse Réveillon.

Churrasco
O que servir no Ano Novo. Muitos, sobretudo os gaúchos escolhem o churrasco. E se é para ser especial, quem sabe um “costelão 12 horas”, daqueles que exige paciência em volta do fogo? Ver os ossos saindo e carne praticamente se desmanchar é um show a parte.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta