Simone de Beauvoir (à direita), sua mãe Françoise e a sua irmã Hélène em 1912.

Filósofa, escritora, intelectual, ativista e professora, Simone Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir nasceu em Paris, França, no dia 9 de janeiro de 1908.

Conhecida por lutar pelos direitos das mulheres, ela se destacou como uma das maiores teóricas do feminismo moderno. Uma de suas frases mais célebres e controversas é “Ninguém nasce mulher, torna-se mulher”, em que se referia à construção cultural do papel da mulher na sociedade, e não ao aspecto biológico.

Simone estudou boa parte de sua vida em instituições católicas, tendo cursado matemática no Instituto Católico de Paris. Ela optou pelo ateísmo e ficou marcada por uma frase sobre a religião: “Era-me mais fácil imaginar um mundo sem criador do que um criador carregado com todas as contradições do mundo.”

De Beauvoir e Sartre em Pequim, em 1955

Na Universidade de Sorbonne, cursou filosofia e conheceu Jean Paul-Sartre, parceiro intelectual e com quem teve um relacionamento aberto toda a vida (cerca de 50 anos).

Vítima de pneumonia, Simone faleceu com 78 anos no dia 14 de abril de 1986 em sua cidade natal. Ela foi enterrada no Cemitério de Montparnasse, em Paris, ao lado de Sartre.

Outras frases de Simone de Beauvoir
“Se vivermos durante muito tempo, descobrimos que todas as vitórias, um dia, se transformam em derrotas”.

“É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o trabalho poderá garantir-lhe uma independência concreta”.

“O homem é livre; mas ele encontra a lei na sua própria liberdade”.

“O presente não é um passado em potência, ele é o momento da escolha e da ação”.

“A minha liberdade não deve procurar captar o ser, mas desvendá-lo”.

“Renunciar ao amor parecia-me tão insensato como desinteressarmo-nos da saúde porque acreditamos na eternidade”.

Simone de Beauvoir fotografada por Giselle Freund em sua casa, 1949
COMPARTILHAR

Deixe uma resposta