A Associação paulista de Críticos de Artes (APCA) escolheu os melhores de 2017 nas categorias Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Música Erudita, Música Popular, Rádio, Teatro, Teatro Infantil e Televisão.

Juliana Paes foi a atriz de TV do ano, escolhida pelo papel Bibi Perigosa, em A força do Querer. O folhetim ainda foi escolhido como melhor novela de 2017 pela APCA. A votação ocorreu na noite dessa segunda-feira, 11, no Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo.

Tatá Werneck foi escolhida na categoria Melhor Apresentador/a. Foto: Divulgação

“Em momentos tão difíceis como este que as artes vêm enfrentando, é altamente inspirador encontrar uma produção artística potente e que atenda aos anseios do público e dos críticos”, afirma Celso Curi, presidente da APCA.

Juliana Paes não conteve as lágrimas ao perder o título durante o troféu Melhores do Ano de 2017, no “Domingão do Faustão”, entregue no último domingo. Paolla Oliveira, que interpretou a policial Jeiza, em A força do Querer, ficou com esse título.

Ainda no prêmio da APCA, Tatá Werneck foi eleita melhor apresentadora e se declarou muito feliz com o reconhecimento. “Sonhei anos com isso”.

Confira todas as premiações:

TELEVISÃO
Novela: A Força do Querer (Glória Perez/TV Globo)
Atriz: Juliana Paes (Dois Irmãos e A Força do Querer/TV Globo)
Ator: Julio Andrade (Um Contra Todos/Fox e Sob Pressão/TV Globo)
Diretor: Luiz Fernando Carvalho (Dois Irmãos/TV Globo)
Série: Sob Pressão (Conspiração/TV Globo)
Programa:Terra Dois (TV Cultura)
Apresentador/a: Tatá Werneck (Lady Night/Multishow)

Votaram: Cristina Padiglione, Edianez Parente, Fabio Maksymczuk, Leão Lobo, Neuber Fischer, Nilson Xavier e Paulo Gustavo Pereira.

ARQUITETURA
Obra de arquitetura em São Paulo: Instituto Moreira Salles (nova sede na Avenida Paulista) – Andrade Morettin
Urbanidade: Sesc 24 de maio
Paulo Mendes da Rocha; MMBB (Marta Moreira, Milton Braga e Fernando de Mello Franco), Danilo Santos de Miranda
Obra de arquitetura no Brasil: Moradias de estudantes na Fazenda Canuanã
Rosenbaum (Marcelo Rosenbaum e Adriana Benguela), Aleph Zero (Gustavo Utrabo e Pedro Duschenes), Ita Construtora (Helio Olga)
Obras referenciais: Alberto Xavier
Fronteiras da Arquitetura: Guto Lacaz
Resistência Urbana: Bixiga
Vai-Vai; Festa de Nossa Senhora Achiropita; Teatro Oficina; União de Mulheres de São Paulo; Casa de Dona Yayá / Centro de Preservação Cultural da Universidade de São Paulo (CPC USP)
Difusão Cultural: Vicente Wissenbach

Votaram: Abilio Guerra, Fernando Serapião, Francesco Perrotta-Bosch, Gabriel Kogan, Guilherme Wisnik, Hugo Segawa, Luiz Recaman, Maria Isabel Villac, Nadia Somekh, Renato Anelli

ARTES VISUAIS
Grande Prêmio da Crítica: Vlavianos (Estação Pinacoteca)
Exposição Internacional: Julio Le Parc – Da Forma à Ação (Instituto Tomie Ohtake)
Exposição Nacional: Anita Malfatti -100 Anos de Arte Moderna (MAM)
Fotografia: Mauro Restiffe – Álbum (Pinacoteca)
Retrospectiva: Di Cavalcanti – Do Subúrbio dA Modernidade – 120 anos (Pinacoteca)
Arte e Reflexão: Amélia Toledo – Lembrei que Esqueci (CCBB)
Iniciativa Cultural: Sesc 24 de Maio
Votaram: Dalva de Abrantes, João J. Spinelli, José Henrique Fabre Rolim, Ricardo Nicola, Rubens Fernandes Junior, Silvia Balady

CINEMA
Filme: Corpo elétrico, de Marcelo Caetano
Diretor: João Moreira Salles, por No intenso agora
Roteiro: Fellipe Barbosa, Lucas Paraizo e Kirill Mikhanovsky, por Gabriel e a Montanha
Ator: Vadimir Brichta, por Bingo
Atriz: Clarice Abujamra, por Como nossos pais
Documentário: Martírio, de Vicent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tatiana Almeida
Prêmio especial do júri: Er o hotel Cambridge, de Eliane Caffé (pelo processo de criação)

Votaram: Luiz Carlos Merten, Orlando Margarido e Walter Cezar Addeo

DANÇA
Espetáculo/Estreia: “Gira”, Grupo Corpo
Espetáculo /Não Estreia: “Kuarup ou A Questão do Índio” , Ballet Stagium
Coreografia/Criação: “Eu Por Detrás de Mim” , concepção coreográfica de Ana Bottosso, Companhia de Danças de Diadema
Interpretação: Ana Paula Camargo e André Grippi, São Paulo Companhia de Dança, por “14′ 20″”
Prêmio Técnico: Hideki Matsuka, pela Direção de Arte dos Trabalhos de 2017 de Key Zetta e Cia.
Projeto/Programa/Difusão/Memória: VIII Circuito Vozes do Corpo, Cia Sansocroma
Grande Prêmio da Crítica: Maria Helena Mazzetti e Aracy Evans, pela trajetória de formação em dança em São Paulo.
Votaram: Amanda Queirós, Iara Biderman, Henrique Rochelle, Ana Francisca Ponzio, Yástara Manzini, Renata Xavier, Simone Alcântara e Ana Francisca Ponzio.

LITERATURA
Grande Prêmio da Crítica: Editora Zahar, pelos 60 anos de publicações pioneiras e relevantes no campo das ciências humanas.
Romance/Novela: Nunca houve tanto fim como agora, Evandro Affonso Ferreira. Editora: Record.
Ensaio/Teoria e/ou Crítica Literária/ Reportagem: Raízes do conservadorismo brasileiro, Juremir Machado da Silva. Editora: Civilização Brasileira.
Infantil/Juvenil: Calu: uma menina cheia de história, Cássia Valle e Luciana Palmeira, com ilustrações de Maria Chantal. Editora: Malê.
Poesia: Dia bonito para chover, Lívia Natália. Editora: Malê.
Contos/Crônicas: Anjo Noturno, Sérgio Sant’Anna. Editora: Companhia das Letras.
Tradução: Guilherme Gontijo Flores, por Fragmentos completos, de Safo. Editora: 34.
Biografia/Autobiografia/Memória: Lima Barreto: Triste visionário, Lilia Moritz Schwarcz. Editora: Companhia das Letras.

Votaram: Amilton Pinheiro, Gabriel Kwak, Felipe Franco Munhoz e Ubiratan Brasil

MÚSICA ERUDITA
Espetáculo de ópera: Os Pescadores de Pérolas (out/17 Theatro Municipal)
Prêmio Especial pelo conjunto da obra: João Guilherme Ripper
Instrumentista: Cristian Budu (piano)
Regente de Orquestra: Jamil Maluf
Projeto Musical: Instituto Piano Brasileiro
Cantora Lírica: Denise de Freitas
Revelação: Camila Titinger

Votaram: Sergio Casoy, Celso Curi e José Henrique Fabre Rolim

MÚSICA POPULAR
GRANDE PREMIO DA CRÍTICA: João Gilberto
Artista do Ano: Rincon Sapiência
Melhor Álbum: “Boca”, Curumin
Melhor Show: Mano Brown (“Boogie Naipe” ao vivo)
Revelação: Pabllo Vittar
Projeto Especial: Selo Discobertas (Acervo)
Música do Ano: “As Caravanas”, Chico Buarque

Votaram: Alexandre Matias, Fabio Siqueira, José Norberto Flesch, Lucas Brêda, Marcelo Costa, Roberta Martinelli e Tellé Cardim

RÁDIO
Grande Prêmio da Crítica: Especial 40 anos de Cultura FM (transmissão ao vivo pela rádio, pela TV aberta e pelas redes sociais)
Prêmio Especial do Júri: “Música do Bem” (Nova Brasil FM), campanha pela doação de sangue.
Produtor (Musical): Oswaldo Luiz “Colibri” Vitta, Hora do Rango, Rádio Brasil Atual
Produtor (entretenimento): Antonio Viviani e Nicolla Lauletta, Voz Off (www.radiofobia.com.br)
Produtor jornalístico: Heloísa Granito, Via Sampa – USP FM
Melhor apresentação: Eli Corrêa, “Que Saudade de Você”, Rádio Capital AM
Homenagem especial: Joseval Peixoto (Rádio Jovem Pan)

Votaram: Fausto Silva Neto, Marcelo Abud, Marco Antonio Ribeiro e Maria Fernanda Teixeira.

TEATRO
Grande Prêmio da Crítica: Projeto O Rei da Vela – 50 anos depois
Espetáculo: Suassuna (O Auto do Reino do Sol)
Diretor: Bia Lessa (Grande Sertão: Veredas)
Autor/Dramaturgia: Rudifran Pompeu (Siete Grande Hotel: A Sociedade de Portas Fechadas)
Ator: Renato Borghi (O Rei da Vela)
Atriz: Andreia Beltrão (Antígona, direção de Amir Haddad)
Prêmio Especial: Teatro de Contêiner Munguzá (Projeto de ocupação de terreno abandonado no bairro da luz)

Votaram: Aguinaldo Cristofani Ribeiro da Cunha (votou somente o Prêmio Especial e o Grande Prêmio da Crítica), Carmelinda Guimarães, Celso Curi, Edgar Olimpio de Souza, Evaristo Martins de Azevedo, Gabriela Mellão, José Cetra Filho, Kyra Piscitelli, Marcio Aquiles, Maria Eugênia de Menezes, Miguel Arcanjo Prado e Vinício Angelici

TEATRO INFANTO-JUVENIL
Em vez das categorias tradicionais, a comissão decidiu premiar as 7 personalidades que mais se destacaram no ano no setor de teatro para crianças e jovens em SP:
CRISTIANE PAOLI-QUITO. Pela direção e dramaturgia nos espetáculos Skellig e Histórias de Alexandre.
FERNANDA MAIA. Pela dramaturgia, letras e direção musical em Lembro Todo Dia de Você. Pela direção musical e preparação vocal em Senhor das Moscas e Romeu e Julieta – De almas sinceras a união sincera nada há que impeça. Pela direção musical, trilha sonora e arranjos em Nerina, A Ovelha Negra. Pela dramaturgia, co-direção artística e direção musical em Carrossel – O Musical. Pela adaptação, direção musical e direção artística de Sonhos Não Envelhecem. Pela direção musical de ‘Mil Mulheres e Uma Noite’, primeiro espetáculo adulto de As Meninas do Conto.
FERNANDO ESCRICH. Pela concepção, cenografia, direção musical, arranjos, atuação e co-direção artística em Canções para Pequenos Ouvidos, da Orquestra Modesta; pela trilha sonora original e direção musical em Henriques; pela direção artística e trilha sonora original em As Travessuras de Mané Gostoso; pela assistência de direção e preparação de atores em Alice no País do Iê-Iê-Iê; pela direção geral e musical do espetáculo-cortejo Rio do Samba ao Funk, com o grupo Bando de Palhaços (RJ).
GUSTAVO KURLAT. Pela idealização, direção, músicas, co-roteiro e direção musical do espetáculo Numvaiduê, dos Doutores de Alegria, e pela dramaturgia, música e direção de Vou-Eu.
MARCELO ROMAGNOLI. Pela direção e dramaturgia nos espetáculos Gagá e Buda.
MARCO LIMA. Pelos figurinos e direção de arte em Pescadora de Ilusão, pela cenografia, figurino e colaboração dramatúrgica em Alice no País do Iê Iê Iê e pela cenografia e figurino dos espetáculos de dança para crianças Vila Tarsila, Lúdico, Girassóis e Poetas da Cor, da Cia. Druw.
MARISA BENTIVEGNA. Pela iluminação e cenografia em Skellig, Gagá e Buda, e pelo desenho de luz de Nerina – A Ovelha Negra.
MENÇÃO HONROSA. Para o coletivo Galpão dos Lobos, formado pelos grupos Cia. Circo de Bonecos, Cia. Conto em Cantos, Cia. Faz e Conta, Maracujá Laboratório de Artes e Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação, pelo espaço de formação e resistência inaugurado no bairro do Ipiranga em 2017, voltado para “o teatro para todas as idades”.

Votaram: Beatriz Rosenberg, Dib Carneiro Neto, Gabriela Romeu e Mônica Rodrigues da Costa

 

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta