Escolher o melhor tapete que valorizará ainda mais a sua sala de estar pode não ser uma tarefa muito fácil. Depois de definir o estilo geral da sala, o passo seguinte é escolher se os demais elementos seguirão a mesma paleta de cores e estilo.

Além das cores o tamanho é muito importante. Os tipos de tapetes são bem variados para responder todas essas duvidas separamos algumas dicas:

1- Tamanho:  ele precisa ser em torno de 20 a 30cm maior na bordas, para que elas fiquem abaixo do sofá e poltronas laterais. O tapete não precisa ter, necessariamente, medidas exatas. Em alguns casos deixar que o tapete passe do tamanho do sofá não é nenhum problema. Use medidas básicas para que seja mais fácil encontrar o seu tapete em qualquer loja, assim, evita-se ficar preso em lojas que trabalham apenas com tapetes de medidas especiais.

2- Estilo:  se a intenção é atribuir uma função de complementaridade a outros elementos decorativos, busque por cores neutras. No caso de desejar que todos os olhares se voltem a esse ornamento, prefira cores fortes, que contrastem com as demais cores presentes. Os tapetes de diferentes formatos, como os redondos, podem ser uma boa opção para quem gosta do estilo mais moderno.

3- Combinando: uma maneira simples de escolher entre os tipos de tapete é combinar a peça com as almofadas. Esse truque ajuda a deixar o ambiente mais harmonioso e com cores coordenadas.

4- Tipos de tapetes: existem três tipos principais fibras sintéticas e naturais e os felpudos. Os modelos de fibras sintéticas, como náilon, acrílico e poliéster, são os tipos de tapete mais indicados para a sala de jantar, costumam ser mais baratos. Os tapetes de fibras naturais, como o sisal, são ótimas opções para sala de estar. Apesar de ter uma superfície mais dura, eles caem muito bem em ambientes de lazer, pois trazem um apelo da natureza. Em ambientes prioritariamente de descanso, como o quarto, o tapete felpudo cai muito bem. Os modelos mais espessos podem ser utilizados, desde que o cuidado com a limpeza seja intensificado para evitar alergias.

5- Espessura: as espessuras variam muito. Os de 5 mm não têm pelos – a própria trama é o desenho.  Já os de 10 mm são os mais usados. Entre os de 25 mm a 50 mm estão os de pelo alto, que podem ser de pele, náilon ou poliéster. Por fim, os de 70 mm de pelo mais alto, feitos de náilon ou poliéster.

6- Manutenção: se cair líquido, absorva-o com papel, caso não tenha manchado. Para os de fibra sintética, ela dá uma receitinha: dilua meia tampa de detergente natural, sem química, em cinco litros de água. Passe com uma vassoura de cerdas macias sobre o tapete e aspire a umidade que restar. Pronto, a limpeza superficial está feita. Uma vez por ano, mande-o para uma lavanderia especializada, que fará a lavagem a seco, se você quiser que a peça tenha boa durabilidade e pareça sempre nova.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta