Em janeiro, a bandeira tarifária também trocará para a cor verde, o que promete valores mais em conta nas faturas

Quem não gosta de economia no fim do mês, principalmente quando se trata da conta de luz? Com tarifa mais elevada em dezembro, bandeira vermelha patamar 1, os brasileiros sentiram no bolso o aumento. Mas, para janeiro, a promessa é de economia com a determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica de bandeira tarifária de cor verde durante o mês.

Na família de Maria Cristina Joner, 46 anos, eles fazem o que podem para tentar reduzir os gastos com a conta de luz, por exemplo, desligando aparelhos que não são utilizados, tanto durante o dia quanto à noite. Morando com o marido e o filho, Cristina destaca que, em determinadas épocas do ano, a energia tem variações de preço.

“Principalmente no Verão, o valor sobe muito por causa dos aparelhos de ar condicionado. Horário de verão é uma ilusão. E ar condicionado, por melhor que seja, muitas vezes não é utilizado da maneira certa. Acham que, colocando nos 17°C, irá gelar mais rápido”, conclui.

Marion Torriani, 43 anos, chama a atenção para as altas taxas e impostos que incidem sobre serviços e produtos e afirma que brasileiro “paga até pelo ar que respira”. “O valor da conta de luz está um horror! Gastamos cada vez mais e usufruimos menos. Aqui em casa, somos quatro pessoas e tento economizar o máximo que posso em tudo, principalmente no verão”, garante.

Segundo ela, os splits são ligados somente à noite e, ao sair de cada cômodo, as luzes são apagadas. “Deixo as janelas abertas de manhã bem cedo para refrescar, depois fecho tudo e abro à tarde para trocar o ar”, termina.

Aprenda a gastar menos
Mesmo com a redução das tarifas, sempre dá para reduzir as despesas. Confira algumas dicas que ajudam a poupar ainda mais, além de reduzir riscos, divulgadas pela RGE e RGE Sul.
– Realize periodicamente a manutenção domiciliar, evitando fios desencapados;
– nos dias quentes, colocar o chuveiro na posição “verão” (o consumo será cerca de 30% menor). Em algumas cidades, é possível até desligar o chuveiro;
– limpar periodicamente os orifícios de saída de água do chuveiro;
– tomar banhos mais rápidos e desligar a torneira ao se ensaboar;
– nunca reaproveitar uma resistência queimada. Isso provoca o aumento do consumo e coloca em risco a segurança do usuário;
– uma boa opção também são os aquecedores solares para água, que cada vez mais possuem preços atrativos e demandam baixa manutenção;
– instalar a geladeira em local bem ventilado, desencostada de paredes ou móveis, longe de raios solares e fontes de calor, como fogões e estufas;
– nunca utilizar a parte traseira da geladeira para secar panos, roupas ou tênis;
– nunca colocar alimentos quentes na geladeira;
– não forrar as prateleiras da geladeira (a falta de ar circulando entre as prateleiras exige mais consumo de eletricidade);
– não deixar a porta da geladeira aberta por muito tempo e não se esquecer de manter as borrachas de vedação da porta em bom estado. Um bom teste é colocar uma folha de papel, fechar a porta da geladeira e tentar retirá-la. Se a folha sair muito fácil, pode ser que a borracha já esteja precisando de manutenção;
– apagar a luz ao sair de um ambiente;
– não dormir com a televisão ligada;
– não usar benjamins (item que serve para ligar vários aparelhos a uma só tomada e que a sobrecarrega);
– evite o uso frequente de extensões, não as deixe soltas pela casa;
– acumular roupas para lavar e também para passar. O tempo para aquecer o ferro representa um consumo bem alto. É melhor que isso seja feito menos vezes;
– o ferro elétrico tem regulagem de temperatura. Procure separar as roupas por temperatura em que serão passadas, assim pode tornar o uso mais econômico;
– limpe o filtro da máquina de lavar com freqüência;
– a substituição das lâmpadas incandescentes e fluorescentes para tecnologia LED é importante também quando pensamos no aquecimento do ambiente, sendo que a incandescente aquece muito, e a LED é fria. Não aumentando o aquecimento do ambiente, é possível utilizar menos o ar condicionado e o ventilador. Se para iluminar uma cozinha utiliza-se uma lâmpada incandescente de 100 Watts, a substituição por uma modelo a LED pode trazer uma economia de até 80%;
– sempre manter os ambientes bem arejados. Abrir cortinas e janelas ajuda na ventilação e reduz a necessidade de ar condicionado e ventiladores, além de manter o ar sempre renovado;
– quando o uso do ar condicionado for inevitável, o ideal é utilizá-lo evitando a conexão por longos períodos. Na função “timer”, deixar durante a noite por volta dos 23º, que mantém o ar numa temperatura agradável e não provoca esforço demasiado nos equipamentos;
– os equipamentos de ar condicionado também possuem selo PROCEL, e é interessante que isto seja observado na compra, sempre buscando aparelhos com selo A;
– manter os filtros do ar limpos também é uma ótima iniciativa de economia, pois assim o motor não se esforçará mais que o ideal.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta