Um dos aspectos bonitos e importantes do elemento FOGO é que ele tem a ver com PAIXÃO. É essa energia que faz com que nos apaixonemos, que enchamos os olhos com brilho, nosso ânimo com gana, nossa vontade com alegria. Quando estamos deficientes da energia do fogo vamos nos apagando, perdendo o brilho pessoal, a vivacidade, a vontade, a fé. Vamos deixando de fazer, de acreditar que pode dar certo. Uma perda de fé no outro, em nós, na vida, isso aos poucos vai nos tirando o bom humor, o desejo de mudança, a atitude de fazer, e pode nos deixar amargos, ríspidos, rudes ao ponto de nos incomodarmos com a alegria do outro, com o brilho do outro, com a paixão do outro. É maravilhoso ter algo que nos faça brilhar o olho e nos impulsione a dizer “amo fazer isso”, ter alguém que nos motive a levantar da cama e seguir nosso dia com bom-humor e vivacidade, mas quando esse algo, pessoa ou situação pela qual nos motivamos tiver que ir, deixemos ir sem dor, entendendo a impermanência de tudo. E percebendo o natural ir e vir de tudo na nossa vida, nossa paixão não deveria se limitar a isso e aquilo, mas sim ser um estado interno, um estado vivaz que equilibra o entusiasmo não ansioso com a paciência sábia, sem esperar que algo externo o desperte, sem depender para ser. Apaixonarmo-nos sem apego, estando plenos, vivazes e inteiros no momento presente, sem expectativas de quanto tempo isso vai durar, encontrando em tudo um motivo para vibrar é uma atitude que ajuda a curar e prevenir muitas doenças, especialmente as que começam na mente, como depressão e ansiedade, assim como ajuda a recuperar a autoestima e o poder pessoal. Podemos nos tornar seres apaixonados por projetos, pelas flores, pelo canto dos pássaros, pelo sol, pela chuva, pelo pé na terra, pelo cheiro do mato, por respirar, pela vida…. Sem deixar nosso humor e nossa vida nas mãos do gosto e não gosto, do só serei feliz e pleno se tiver “isso ou aquilo”. Qualquer coisa tem brilho desde que nosso olhar tenha brilho.
Namastê

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta