Nada substitue o Leite Materno, LM, ao bebê. Por mais incrível que possa parecer, ainda hoje me espanto, no consultório, quando algumas mãe perguntam se ´s leites em pó são o mesmo alimento aos seus recém-nascidos. Mas o meu espanto é maior, quando recebo a pergunta que se “os leites em pó são de vaca, mesmo ?”
A desinformação e o despreparo de alguns casais me deixa triste. Numa época de tanta informação, de tanta facilidade de acesso à redes sociais, à ferramentas de pesquisa tipo Google e outras. Mas como esse espaço na Revista Expressão é muito lido, não me canso de repetir conceitos e comentar atitudes. Hoje, em torno do principal alimento aos recém-nascidos, o Leite de sua própria mãe.
Os humanos necessitam, enquanto bebês, pelo menos até os 6 meses, o leite que sua mãe produz. Algumas autoridades médicas da área da Pediatria e Nutrição, defendem até os 9 meses, e outras , até 1 ou 2 anos de vida, a oferta do LM. Trata-se da forma mais higiênica, segura, prática e completa, de alimentar esse pequeno humano que acabou de nascer. Temos que levar em consideração, por óbvio, que algumas mulheres não conseguem produzir o leite após o parto. As causas são variadas. As mais comuns : falta de orientação, já durante a gravidez. Pouco estímulo do seu Grupo Familiar, para a amamentação. Alterações emocionais, do tipo depressão pós-parto, em vários graus. Situações clínicas da mulher, como carga hormonal, etc.
Tenho lido estatísticas a respeito, em que 60% das mulheres brasileiras não amamentam até os 6 meses, o que é considerado como período mínimo para aleitamento exclusivo ao seu filho. A grande maioria desiste devido ao fato de ter que reiniciar em seus empregos, onde muitas vezes só conseguem licença-maternidade de 4 meses. Outras mulheres “emendam” férias, e retardam o Leite de Vaca ( em pó), para mais um mês. Em muitos Países da Europa, o período dessa licença se extende por até um ano, ou mais.
Agora, sob o ponto de vista do nenê, a ingestão do leite da própria mãe que o gerou, produz nesse pequeno, defesas naturais contra infecções, cria barreiras contra agentes infecciosos, e claro, desenvolve estruturas que o farão mais saudável, s=com toda certeza. Simples assim.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta