Foto: reprodução internet

Como vimos no artigo anterior, essas 100 bilhões de células cerebrais desse nenê, já funcionam bem antes de nascer, preparando esse pequenino, a fazer as trilhões de sinapses de ligações, que serão o que ele vai aprender em sua vida.
E como também já vimos, a mãe é a mais importante pessoa na formação desse pequeno ser, ao se transformar, e ser, a “cuidadora primária” desse bebê. Ela vai dar a alimentação mais importante que esse pequeno humano var receber, o leite materno. O leite materno não tem apenas a função de alimentar esse bebê, produzindo desenvolvimento, mas iniciar e reforçar as defesas imunológicas, bem como a empatia, o apego, o conhecimento da mãe pelo seu filho, e esse por sua mãe. O homem, o pai, é sim importante, mas mais como agente protetor dessa família, e, intermediador de eventuais crises maternas, e do seu filho.
A importância da figura materna e sua atuação, foi levada para dentro das UTI Neo Natais, onde são tratados os bebês ao nascer até atingirem até 2kg. Pois foram criados mecanismos de interação desses pequenos bebês, tipo abraço, o toque amoroso, o contato olho a olho, o aconchego, o envolvimento. A palavra, o som, o toque afetivo. E essas experiências continuadas de afetos positivos, são super importantes para a formação do cérebro desse bebê. O bebê terá a mais longa das infâncias de todas espécies animais, e estará pronto lá pelos 20 anos de vida, para ter uma existência produtiva, resolver problemas, emitir conceitos abstratos, etc.
Claro, que do nascimento até os 20 anos, seu cérebro já quadriplicou de tamanho e se reestruturou várias vezes. O bebê, sendo bem estimulado, aprende rapidamente. E por inúmeras experiências em todo Mundo, neuro-cientistas observam o grande desenvolvimento dos pequenos, quando ouvem músicas de diferentes estilos, veem objetos coloridos em sua frente, enquanto recebem afeto e atenção. Esses bebês estão em ambientes enriquecidos de atenção, presença interessada, amor. Por isso que a estimulação precoce é vital para agregar conhecimento, e se diferenciar dos pequenos desamparados, não amados.
Simples assim.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta