foto: reprodução internet

Quem já não ouviu falar em “reforma íntima” através de palestras, livros ou jornais?
Porém, muita gente ficava sem entender o que isso significa ou, quando ouve uma explicação, é no sentido de que se a pessoas estivessem passando por um processo difícil, que reavaliassem sua postura mediante a situação. Indo um pouco mais longe, ouvia-se que todo processo de dor vem do estado emocional. E como diz o ditado, “você aprende pelo amor ou pela dor”. Mas tudo isso era meio vago.
Por exemplo, uma pessoa com dor de estômago, por mais que ela pare e pense, não consegue achar o fundo emocional causador da sua dor. A medicina, apesar de ser muito importante, vai tratar a dor de forma específica. E é aí que entram as terapias holísticas, que vão auxiliar no emocional, ou seja, na raiz do problema.
É possível exemplificar com uma pessoa que anda se sentindo cansada, irritada e com a sensibilidade no estômago. Olha como o emocional funciona: a irritação (emocional) vai atacar seu fígado, que por sua vez vai sinalizar no seu estômago (físico). O fígado, tendo que trabalhar bem mais que o normal, vai lhe trazer um enorme cansaço físico, além da exaustão mental. Por sua vez, devido a falta de oxigenação, necessária através da corrente sanguínea, pode gerar algum esquecimento. É deixar um objeto em determinado local e, minutos, depois, já esquecer onde colocou.
Então fica difícil sair desta situação, onde tudo ocorre num círculo de resultados que também atua em sentido contrário. Afinal, o fígado cansado, também trabalhando em excesso, vai trazer irritação. E é aí que as terapias holísticas vêm ganhando seu espaço, pois têm como objetivo tratar o emocional. As terapias de regressão, Reiki, Barra ACCES e etc, vão direto ao ponto, tratando a causa, a raiz e o que aflora no corpo físico, mas é na verdade efeito do emocional.
Reiki, por exemplo, é um tratamento completo, onde a energia Reiki atua no corpo físico, mental, espiritual e emocional, rompendo automaticamente barreiras entre o tempo e o espaço, trazendo novamente o equilíbrio da pessoa em tratamento e agindo diferentemente no ponto de irritação (emocional), fígado (físico), mental (vendo claramente a forma correta de ver a vida) e espiritual (trazendo uma paz interior). Quem faz Reiki sabe do que estou falando.
Como costumo dizer aos pacientes, Reiki não se explica, se sente. Então deixo elas me contarem como se sentiram na semana seguinte após o Reiki. O retorno costuma ser fantástico e impagável. Deixando bem claro aqui que tudo é um complemento, pois a pessoa jamais vai deixar a medicina de lado enquanto houver necessidade. Com o tempo sim, já vi muito disso acontecer, onde melhora o emocional, melhora o físico. E então, podendo diminuir ou até deixar de lado a medicação, quando o emocional e físico estão curados, não há necessidade de medicamentos que por hora sabemos de suas necessidades. Mas não podemos negar o efeito colateral e nisso a terapia holística se beneficia, pois não há efeito colateral, apenas melhora até a cura.
É nisso que verdadeiramente se aplica a frase “reforma íntima”. É entender exatamente o que está acontecendo no meu eu interior. Eis a reforma íntima, assim como usamos a irritação (emocional) e fígado (físico), também tratamos todos os outros órgãos do nosso corpo, inclusive câncer e outras doenças mais profundas, podendo chegar à cura. Quando se percebe e realmente entende o que está fazendo de errado.
Então não espere o tempo passar, faça já sua reforma íntima e, se não encontrar o caminho, nos procure, podemos lhe ajudar, não tenha medo ou receio se isso for algo desconhecido a você, pois temos ética e nosso trabalho é sigiloso, seguimos o que Jesus nos orientou: “conheça-te a ti mesmo”. Nós terapeutas só estamos aqui para te mostrar o caminho. Então bom trabalho e sucesso na sua jornada.
Tenha foco, fé e luz.
Gratidão!

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta