Foto: reprodução internet

“Quando os pensamentos se tornam negativos e o coração aflito, a ansiedade invade a pessoa com tremores, agitações estranhas, alegria exacerbada, nervosismos e explosões sem motivos proporcionais.”
Ansiedade é um estado emocional de defesa contra o tempo das coisas e cobranças da vida. Ansiedade é o medo de algo dar errado, de perder pessoas ou situações estáveis. Quando os pensamentos se tornam negativos e o coração aflito, a ansiedade invade a pessoa com tremores, agitações estranhas, alegria exacerbada, nervosismos e explosões sem motivos proporcionais. Esse estado mental é gerado por substâncias químicas drenadas do cérebro para todas as células do corpo, iniciando-se nos rins. Os rins são o nosso relógio biológico, os órgãos responsáveis pelo nosso instinto de sobrevivência. As glândulas suprarrenais produzem a adrenalina, hormônio que nos acorda de manhã, sem um relógio despertador. Também é esse hormônio que aciona nossos músculos para o ataque e a defesa, quando percebemos uma ameaça. Com isso, nosso organismo se prepara instintivamente para o ataque, pela energia do medo, e esse medo é transmitido eletricamente para os rins, daí as glândulas fabricarão a química para nos tornar espertos e atentos.
A ansiedade pode ser um estado passageiro ou durar anos, dependendo da consciência que a pessoa tem a respeito dos sintomas. A ansiedade é o oposto da paz de espírito e da tranquilidade no comportamento. Pessoas ansiosas têm dificuldade de escutar conselhos ou opiniões de outras pessoas. Estão sempre achando que sabem das coisas e não prestam atenção nas mudanças que a vida faz sutilmente. Com isso, são sempre surpreendidas pelas atitudes de pessoas que mudaram de opinião, ou que não tomam uma atitude que o ansioso esperava. Os ansiosos não percebem o tempo dos acontecimentos e nem se conformam em ter que acompanhar essas mudanças.
O ansioso vive à margem dos problemas, achando que está envolvido. E imagina situações futuras negativas. A ansiedade é uma guerra interna contínua de pessoas que se cobram demais, devido ao condicionamento vindo de sua infância.
É preciso parar e se observar. Coloque o pé no freio dos pensamentos e tenha coragem de se acalmar. Use a lei do silêncio para começar seu trabalho interno de paz.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta