Catherine Zeta Jones, linda como sempre, de Zuhair Murad. A eterna Angelina Jolie de Yves Saint Laurent. Claire Foy, do seriado The Crown, arrasou no smoking Stella McCartney

Porque as atrizes que vestiram preto na 75ª edição do Globo de Ouro, no último domingo, em Los Angeles, nos EUA, protestando contra os casos de abuso sexual e estupro sofridos por muitas nos bastidores de Hollywood ao longo dos anos, estavam belíssimas.

PENSE NISSO
“Um novo dia está no horizonte. E, quando esse dia chegar, será por causa de muitas mulheres maravilhosas (…) Quem sabe nesse dia nenhuma mulher terá que dizer ‘Eu também”. (Fazendo referência à campanha na qual vítimas relatam como sofreram violência sexual)
Oprah Winfrey, ao receber o troféu Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra na 75ª edição do Globo de Ouro

Divino ou desastroso?
Agonia desse despojamento da linda Lola Léon, filha da Madonna: você conseguiria não depilar?

 

Personagens Eternos
Nico- do Velvet Underground
Andy Wharol cruelmente mencionou apenas que ela “havia se tornado uma viciada gorda e desaparecido”, de forma nada generosa, sobre a modelo e musa da banda tão aclamada na
década de 1970. Nico, ou Christa Päffgen, um dos mais belos e interessantes rostos do seu tempo, teve o final de sua vida retratado no documentário “Nico. 1988”, pela diretora dinamarquesa Trine Dyrholm. Já no aguardo.

 

O vestir e a cidade
No Cais do Porto, na década de 1970, meu avô, Pedro Isse, usando camisa de mangas curtas e gravata, traje característico da época, brinca com o pequeno Rafael Siebel, ao fundo a antiga usina, hoje Câmara de Vereadores.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta