foto: divulgação Acom

O mês de outubro chegou ao final e com ele foi concluída a campanha que costuma pintar as cidades de cor de rosa. Vitrinas enfeitadas, laços e balões, atividades diversas. O Outubro Rosa, de prevenção ao câncer de mama, mobilizou comunidades de Montenegro e da Região. Ao fi nal da campanha, resta a torcida para que as mulheres mantenham os cuidados com a saúde e as medidas preventivas o ano todo. E que comecem as atividades no Novembro Azul, importante campanha pelo combate ao câncer de próstata e conscientização da importância de exames regulares e diagnóstico precoce.

foto: reprodução internet

Voto
O dia 3 de novembro é uma data importante para as brasileiras. Em 1930 Washington Luís, então presidente brasileiro, instituiu o direito ao voto feminino. Três anos antes, porém, em 1927, na cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, a professora Celina Guimarães, primeira eleitora do país, colocou na urna o seu voto, após ter o alistamento eleitoral permitido pelo governo. Inicialmente, os votos só eram permitidos com autorização do marido, às solteiras, viúvas ou a quem tinha renda própria. Só em 1946 o voto tornou-se direito e dever de todas as mulheres, sem restrições.

foto: reprodução internet

Abusos
A novela “O outro Lado do Paraíso”, da Rede Globo, ainda não emplacou o sucesso de sua antecessora. Mas já mostrou que veio para discutir assuntos importantes. Uma cena chamou a atenção: um estupro cometido pelo noivo durante a noite de núpcias. Os relacionamentos abusivos serão tema da obra de Walcyr Carrasco. Assunto importantíssimo, considerando que, segundo estudo Organização das Nações Unidas, três de cada cinco mulheres já foram vítimas de relacionamentos abusivos.

foto: reprodução internet

Números que importam
No Peru, as candidatas a Miss 2018 inovaram no desfi le. “Minhas medidas são: 2.202 casos de feminicídio nos últimos nove anos no meu país”, disse Camila Canicoba Llaro, de Lima, ao se apresentar. A tradicional fala das medidas de quadril, cintura e busto foi substituída por números mais importantes. As peruanas citaram dados de assassinatos, abusos morais e físicos, exploração sexual e assédio, entre outros crimes contra a mulher.

COMPARTILHAR

Deixe uma resposta